WI-FI: 73% dos usuários de redes públicas correm riscos

Setenta e três por cento dos brasileiros estão em risco de perda de privacidade e roubo de identidade por meio de redes Wi-Fi públicas, de acordo com um recente estudo da Avast Software. Além disso, 55% dos 23 mil pesquisados nunca ou só às vezes desligam seus transmissores de Wi-Fi e ainda permitem que seus celulares ou tablets se conectem automaticamente a redes públicas de Wi-Fi, deixando uma grande janela para hackers acessarem facilmente informações pessoais.

A pesquisa aponta que apenas 7% dos brasileiros usam uma rede virtual privada (VPN, em inglês) para proteger seus dispositivos móveis, quando conectados a uma rede pública. No geral, oito em cada dez pesquisados acessam redes públicas mensalmente, e quase metade de todos os usuários se conecta diariamente ou várias vezes por semana (48%).

“Com a popularização do armazenamento em nuvem e a crescente busca por acesso Wi-Fi, as redes abertas que não necessitam de senhas tornam-se um grande risco para consumidores desprotegidos”, comentou Vince Steckler, CEO da Avast. “A maioria dos brasileiros não percebe que todas as informações pessoais em seus dispositivos móveis ficam indefesas em redes Wi-Fi públicas, se usadas sem proteção. Estas redes facilitam o acesso para ataques de hackers a milhões de consumidores brasileiros diariamente”, completou.

A pesquisa também apontou que, quando conectados a uma rede Wi-Fi aberta, 28% dos entrevistados preocupam-se em ter informações de login (nomes de usuário e senhas) roubadas. Quase um quinto deles se preocupa com ataques a suas fotos privadas, conteúdo de salas de bate-papo e e-mails pessoais (17%). Apenas 26% estão preocupados em ter suas informações financeiras roubadas e somente 13% temem que e-mails e documentos relacionados ao trabalho sejam acessados por um terceiro. Por outro lado, 16% dos pesquisados afirmaram “que não têm nada a esconder”.

Fonte: Momento Editorial